You may translate my blog if you needing

Pesquisar este blog

A certeza

 photo Cristo_zpsi9u1t9yx.jpg

"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." - João 3:16 ARA

Ícones de uma Igreja cristã reformada: de fato bíblica



"E dar-vos-ei pastores segundo o meu coração, os quais vos apascentarão com ciência e com inteligência." Jeremias 3:15 ACF


Da esquerda para a direita e de cima para baixo: Pedro Valdo (c. 1140-c. 1220), Martinho Lutero (1483-1546), João Calvino (1509-1564), John Knox (1514-1572), Charles Spurgeon (1834-1892), Martyn Lloyd Jones (1899-1981), Francis Schaeffer (1912-1984).

Seguidores

Assine minhas postagens

Ars gratia artis!

 photo triunfo444_zpsebb373bd.jpg

Triunfo de Vênus, pura poesia plástica do Renascimento.

Ars gratia artis!

 photo madr_zpsa4265784.jpg

Vênus ou Afrodite, respectivamente, para romanos e gregos, nascendo de uma madrepérola em plena selva amazônica legal, brasileira, de minha cidade de Belém, a capital do Estado do Pará, em uma magnífica escultura no decadente logradouro público de minha referida cidade, na borda do mundo, na Praça da República.

Principia Sapientiae: a Filosofia como mãe e mestra

 photo Rafael_-_Escola_de_Atenas777_zps8e0f0f71.jpg

"Um filósofo é um intercessor, é um sacerdote. Um filósofo é o anfitrião da verdade digna e acessível aos homens." (João Emiliano Martins Neto)


Add me no ZapZap

 photo whatsapp-blue-tick_zpsae2o5yfc.jpg

Principia Sapientiae: Vamos filosofar? Viva a Filosofia!



Assistam ao meu vídeo, supra, em que faço um convite a você, caro leitor, à Filosofia. Meu convite a você leitor que saiamos da Matrix que é a mesmice, o banal do cotidiano e do senso comum tornados como algo muito ruins quando absolutamente inconscientes acerca de suas naturezas intrínsecas.

Entre em contato comigo pelo email (clique no ícone abaixo)









sábado, 9 de março de 2013

A Parousia e a paciência

Por João Emiliano Martins Neto

Dia desses, tão-só por graça divina, estava em minhas costumeiras orações fervorosas sem cessar enquanto caminhava pelas ruas de minha amada cidade de Belém (capital do Pará, norte do Brasil) a qual eu chamaria desde hoje de padaria espiritual em frangalhos por causa de terríveis pecadores dos quais eu sou o principal, e acho que fui iluminado por Deus para escrever esse post aqui que se segue.

Em cumprimento à doutrina apostólica da comunhão dos santos, ora, apesar de muitos simplesmente bandidos comuns estarem por aí a serviço do acusador da humanidade, mas há outras a serviço da cruz de nosso Senhor que oram e torcem para que, o último dos santos que por sorte seja eu, sobreviva à minha própria cruz que são certas deficiências que sofro. Lembrava-me da volta do Senhor Jesus Cristo, ou seja, a Parousia e sua relação com a paciência. Não é fácil sofrer de transtornos psicológicos, mas junto com a fé e com a alguma força de vontade humana tento superar os sintomas. Aliás, devo reconhecer que acho que é a primeira vez que menciono esse trágico assunto de minhas deficiências psíquicas aqui neste meu antigo Blog. Mas então, em oração fervorosa lembrei que é preciso perseverança na oração, orar mesmo sem cessar como ensina o Apóstolo (Paulo), enquanto o Cristo não volta.

Jesus voltará não sabemos quando, mas será em breve. Escrevo não sabemos quando, porque devemos estar preparados para estarmos de pé quando da volta fortuita do Filho do homem, como dizem as Escrituras. Será em breve, eu pelo menos interpreto assim a Bíblia, pois esse intermezzo será encurtado, para que os eleitos não sejam enganados pelas tribulações e ciladas do diabo armadas contra o povo de Deus nestes últimos trabalhosos dias.

Por isso digo a você, ó meu caro leitor, que perseveremos. Em santa porfia, pois tal porfia é santa que é a busca da salvação, mesmo que em meio às loucuras deste mundo que as vezes se apegam em alguns de nós na forma de enfermidades...

O nosso Senhor Jesus há de voltar, isso é certo, mas é por ser repentina como o ladrão a Parousia, cabe-nos a paciência e a pertinácia em orar, buscar, evangelizar, participar dos sacramentos, congregar, buscar pelos dons espirituais sobretudo o melhor deles que é o do amor, protestarmos contra o príncipe deste mundo, sermos teólogos e lermos a Bíblia sempre. Tudo isso ou o principal, conforme a capacidade de cada um, deles que cultivemos a fé, sobretudo pela oração, sempre e sempre.

sexta-feira, 8 de março de 2013

Rios, mares, rios-mares, oceanos

Por João Emiliano Martins Neto

Não sou especialista no assunto, mas sei que em algo chamado de Hidrologia e mesmo em Literatura (Poesia) a respeito do que sei menos ainda, cursos d'água como rios, mares, rios-mares desaguam nos oceanos. Um exemplo aqui onde vivo na porção de Hiléia que cabe ao meu amantíssimo Brasil chamada de Amazônia Legal, há o fenômeno da Pororoca que é o encontro do Oceano Atlântico com o Rio Amazonas que é um rio-mar, o maior do mundo por isso seu nome é com justiça composto de rio e mar de tão imenso.

Ora, o insólito de tão barrento e vasto como o são certas más reputações chamado de Rio Amazonas encontra-se com as águas verdes do Atlântico que cabe ao grotão amazônico brasileiro perfazendo o fenômeno da Pororoca.

Pororoca é também, eu diria metaforicamente, o encontro dos eleitos com o Seu Deus Cristo Jesus Nazareno, o Justo que morreu na cruz em expiação exclusivíssima aos seus bem-amados. Hoje, dia 8 de março do ano do Senhor de 2013, dia da Mulher, quero felicitar pelo dia das mesmas não à qualquer mulher, não à qualquer Maria. Pois que alguém digno de ser felicitado, alguém bem-aventurado, fora alguém como a bem-aventurada Stª. Maria a mãe do Senhor. São felizes todas as Marias que mediante a fé no Salvador Cristo Jesus, foram e são santas, porque predestinadas ao Céu pelo Pai. Elas são, ao lado de tantos homens, crianças, jovens, velhos, judeus, gregos, libertos ou escravos que sejam um só em no Senhor, como ensinou o Apóstolo dos Gentios.

Tão-só por fé, somente por graça, somente segundo o que ensina a Bíblia, somente por Cristo e, por fim, tão só para a glória divina, que os eleitos do Pai sejam um só, independentemente de sexo, cor, nacionalidade, porque tento por cabeça de sua Igreja o Senhor Jesus Cristo que é Deus e tudo em todos.



Feliz Dia Internacional da Mulher às que já são, as que foram e morreram em odor de santidade e que ainda serão santas mulheres do SENHOR. Dia da mulher é todo dia. Sempre é dia e o momento das santas. Sempre e em todas as gerações bem-aventuradas serão sempre as mulheres de Deus.



 

Aleluia! Amém.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Chávez está com Deus?

Por João Emiliano Martins Neto

Tomara! Pois que, como cristão que tento ser, cabe a mim ser mais paciente com o mundo do que o resto do mundo é sempre bem menos respeitoso consigo próprio. Satanás é sobremaneira apressado quando quer ser. Oxalá esteja com o Deus do céu, o plenipotenciário, mais longevo e mais perverso no poder da Venezuela, o presidente Hugo Chávez Frías, falecido na terça-feira (5), aos 58 anos de idade. O SENHOR está com Chávez e com qualquer de suas criaturas seja aqui na terra, no Céu e mesmo no Inferno, ainda que neste último caso na forma de sua ira que é fogo inextinguível!

Devemos orar pelas nossas autoridades (1 Timóteo 2.2), amar inimigos (Mateus 5.44), orar por quem nos persegue e calunia. Se amarmos e saudarmos somente a quem nos ama que recompensa, teremos? (Mateus 5.46-47) Como fazer arder a consciência (Provérbios 25.21-22; Romanos 12.20) de quem nos maltrata se mal os tratarmos? Eis que são perguntas baseadas em mandamentos bíblicos inerrantes, infalíveis, suficientes e poderosos.


Espero que desde antes da fundação do mundo o presidente Chávez haja sido um predestinado para a bem-aventurança eterna e esteja com Deus em bom lugar e descansando em paz. Que o venezuelano haja sido regenerado pelo Espírito de Deus no último momento e por isso haja perseverado até o fim.

O Inferno não está vazio, como disse certa vez Bento XVI, mas espero que raros orgulhosos estejam lá. A consciência pode falar mais alto mesmo nos mais celerados. O homem é um ser religioso na essência, ainda quando entroniza a si mesmo como deus.

Mas que somente Deus seja glorificado, seja nos que se perdem e seja nos que se salvam. A glória de Deus é o homem vivo, como diria um grande cristão do passado, mas eu acrescentaria que o homem que quer viver este viverá pela fé e o ímpio que quer morrer, durante a vida aqui na terra saberá o que é bem, todavia se optar pela morte saberá que a esplendorosa glória de Deus será no ímpio desonra e que desonra.

quarta-feira, 6 de março de 2013

Um dia a casa cai

Por João Emiliano Martins Neto

O tal chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie Augustus Nicodemus Lopes está, nesse caso de consentir com a presença de Jean Wyllys, deputado federal e Osama Bin Laden do movimento gay em um debate nos recintos sagrados de um escola evangélica, consoante fiz referência no meu post anterior àquele personagem bíblico Acã ao esconder as críticas ao movimento gay que se encontravam no site do indigitado Mackenzie desde 2007. Também quando o barbado mente a respeito do envolvimento do gabinete dele na promoção direta da presença de alguém como o tal Jean Wyllys na referida universidade.

A quem mais foi dado, mais será cobrado. Refiro-me à saúde, capacidade, conhecimento e cargos de extrema importância dados à cidadãos como esse Sr. Dr. Augustus Nicodemus Lopes. Do que adianta para certas pessoas tantas faculdades mentais ou teológicas?


Como dizem sabiamente as autoridades policiais: um dia a casa cai.

Os eternos adolescentes

Imaturidade. A palavra virou clichê. Quando se quer interromper uma discussão, lança-se logo que o outro é imaturo. Quando não se quer estabelecer os limites de uma relação, solta-se o brado triunfante: “você é imaturo! não tenho tempo para ficar trocando juízo com crianças!” O problema é que boa parte das pessoas que acusam outras de serem imaturas são, também elas, um bando de criancinhas. Quem tenha maturidade exporá ao outro, sem chiliques, sem frescuras, os problemas e as discordâncias, e isso numa conversa franca, ponto a ponto.

O que faz com que o homem cresça, porém não cresça? O mesmo verbo é aqui usado em dois sentidos: crescer em estatura e crescer como pessoa. Muitas são as causas do fenômeno da eterna adolescência: os gurizões, gente com corpo de homem feito e cabeça de bebê. Numa listagem rápida, pode-se enumerar como principais:

-  O protecionismo exagerado dos pais – na maior parte dos casos, da mãe – que impede o filho de tomar as próprias decisões naquilo que pode decidir e o cria numa bolha, sem responsabilidades, sem conseqüências, com tudo sendo jogado para os braços do papai e da mamãe;

-  A absurda proibição de que os jovens trabalhem e o estímulo generalizado a que sejam promíscuos: quem pouco se acostuma ao suor e à dor e vive como se só existisse prazer não raro tem no lugar do cérebro um monte de algodão doce cor-de-rosa (ou embalagens de camisinha);

-  Um ambiente de instabilidade familiar, que gera insegurança e medo constante na criança: ela cresce vendo os pais sempre a ponto de separar-se e, quando mais velha, sempre vê o risco de perder algo antes da chance de ganhar;

- Ausência de correção na educação dos filhos: pais que sempre passam a mão na cabeça das crianças subvertem-lhe o senso moral, do que é certo e do que é errado; estão criando monstros egoístas e inescrupulosos.


São apenas alguns poucos motivos para o problema, entre tantos.

Um sintoma claríssimo da decadência na educação dos filhos é o esquecimento dos tradicionais ritos de passagem da adolescência para a vida adulta. Todas as culturas possuíam algum tipo de ritual de passagem que marcava o fim do menino e o nascimento do homem. No Ocidente, foram célebres neste sentido as ordens de cavalaria medievais, com ritos de admissão e criação do cavaleiro que influenciaram todo o conceito de virilidade do Ocidente.

Léon Gautier, no livro “Chivalry” – o melhor livro sobre cavalaria já escrito na história – fala do código de honra dos cavaleiros e enumera os seus dez principais mandamentos – após, é claro, os Dez Mandamentos da Lei de Deus. Entre os comandos, defender a Igreja e a santa religião, respeitar os fracos e defendê-los quando em perigo, ser generoso, estar sempre de prontidão a combater o inimigo e nunca titubear diante dele, obedecer às leis (desde que não sejam contrárias à Lei de Deus), amar a pátria, ter palavra e não mentir (são o mesmo comando, estas duas).

Mediante o rito de admissão, o jovem cavaleiro assumia para si todos valores expressos no código de conduta; ajoelhava-se como criança e levantava-se como homem, ciente dos valores que assumira para si e das responsabilidades que agora tomara.

Durante gerações famílias tiveram seus próprios ritos de condução dos jovens à vida adulta: as mães com suas filhas, os pais com seus filhos. Hoje o costume perdeu-se completamente. Quem não descobre sozinho, diante das intempéries, o caminho para ser homem feito (e mulher feita), ou fica eternamente adolescente ou eternamente depressivo ou eternamente sem rumo – e as três coisas não se excluem. Não há mais quem mostre para as crianças o caminho para ser homem, o caminho da responsabilidade e da maturidade. O resultado são eternos adolescentes, seres mesquinhos que, com 30 ou 40 anos, continuam a agir como bebezinhos chorões ao enfrentarem qualquer dificuldade. O modo de encarar a morte é sinal disso: chegamos a um momento da história em que ninguém quer encarar a morte, todos têm medo dela, mas todos a procuram pelos atos mais irresponsáveis e desvalorosos (os cavaleiros não procuravam a morte, mas tinha hombridade para enfrentá-la quando fosse preciso morrer por algo maior; e, sim, há coisas pelas quais vale à pena morrer).

Um problema como a eterna adolescência só pode ser resolvido mediante uma educação total da personalidade e, mais ainda, de toda uma sociedade. As pessoas são imaturas e a sociedade (por conseqüência lógica, já que é o consórcio das pessoas) é cada dia mais de uma imbecilidade sem tamanho. Coisas como a “Lei da Palmada” e o “Ai, se eu te pego” que o digam.

Embora não seja uma solução em si, recuperar um código de conduta sério e formular para a própria família um rito de passagem da infância para a vida adulta, onde estes valores são tomados sobre si, é um bom modo de começar, além de possuir um excelente impacto simbólico. A propósito, para quem lê gringolês, The Art of Manliness – um de meus sites preferidos – publicou tempo atrás um artigo sobre isso, intitulado “Coming of Age: The Importance of Male Rites of Passage”. Vale à pena a leitura.

Para os homens, o seguinte vídeo pode dar uma idéia do que falo sobre os valores que o homem deve assumir para si, sob pena de ser um eterno adolescente. É um vídeo curtinho, de apenas um minuto; um comercial do Chivas Regal da campanha “Live with Chivalry”:

{youtube}TXJdXHxjWwI{youtube}


Taiguara Fernandes de Sousa é diretor de marketing e relações públicas na revista Vila Nova, em cujo site foi publicado o presente artigo. 

terça-feira, 5 de março de 2013

Jean Wyllys no Mackenzie

Universidade presbiteriana cede aos modismos politicamente corretos?


Julio Severo (cf. http://juliosevero.blogspot.com.br/2013/03/jean-wyllys-no-mackenzie.html )

Em seu debate intitulado “Diversidade Sexual e Liberdade Religiosa: Um casamento possível?” em 28 de fevereiro de 2013, a Universidade Presbiteriana Mackenzie, em parceria com sua chancelaria, convidou o deputado supremacista gay Jean Wyllys para tratar do tema diversidade sexual.

Em sua apresentação de Wyllys, a universidade o descreveu: “Militante pelas liberdades civis, atuava nas comunidades eclesiais de base da Igreja Católica. Parceiro dos movimentos LGBT, negro e de mulheres. Participa de ação de combate à homofobia, à intolerância, aos fundamentalismos religiosos…”

Para que o debate não fosse 100% gayzista, o chanceler Augustus Nicodemus Lopes também convidou o Dr. Guilherme Zanina Schelb, membro do Conselho Diretivo Nacional da ANAJURE, do qual o próprio Nicodemus é presidente do conselho.

Na apresentação de Schelb, o Mackenzie destacou que o membro da ANAJURE ficou famoso internacionalmente como coordenador de alguns inquéritos, inclusive um denominado “Guerrilha do Araguaia”. Esse inquérito, de acordo com informações do Senado, foi para atender aos pedidos dos familiares de 68 guerrilheiros comunistas que morreram em combates aos militares brasileiros no início da década de 1970, no Araguaia. Esses criminosos lutavam contra o governo brasileiro a fim de implantarem no Brasil uma ditadura comunista.

Como se isso já não fosse suficientemente suspeito, Schelb já foi acusado de tentar fazer dinheiro com suas investigações, uma atitude que entra em choque com a ética cristã, ainda mais quando lucros são obtidos com a defesa de uma suposta imagem positiva de patentes criminosos comunistas.

Fora dessa esfera, ele é conhecido como “moderado”, seja lá o que for que isso signifique.

O Mackenzie não disponibilizou, até o momento, o conteúdo das falas de Wyllys ou Schelb, mas uma estudante da universidade presbiteriana, que assistiu pessoalmente ao debate, manifestou publicamente que adorou o discurso do supremacista gay, dizendo:

(Twitter) De estudante do Mackenzie para Jean Wyllys: “Sou da Mackenzie e acabei de voltar do debate! Estou IMPRESSIONADA com a sua capacidade de debate e sua inteligência”.

Não se pode dizer, porém, que o Mackenzie foi a primeira instituição evangélica do Brasil a convidar um ativista gay para um debate. Essa “glória” insana pertence à Escola Superior de Teologia (EST) que em 2006 realizou um evento onde o participante mais famoso foi Luiz Mott, líder do movimento gay brasileiro acusado de defender a pedofilia. A EST pertence à Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil.

Depois de Luiz Mott na EST e Jean Wyllys no Mackenzie, o que virá? Toni Reis na notoriamente esquerdista Universidade Metodista de São Paulo?

Enquanto estou tentando entender como a participação de Wyllys poderia representar algum benefício para o Cristianismo brasileiro ou para a própria universidade presbiteriana, leio no Twitter de Wyllys uma mensagem dele recomendando Ricardo Gondim, um famoso pastor progressista no Brasil, mas hoje enlouquecido pelas ideias da Teologia da Libertação:

(Twitter) De Jean Wyllys para Ricardo Gondim: Texto lindo do pastor (pastor de verdade, culto, sensível, progressista).

Outra mensagem de Wyllys recomenda descaradamente Paulo Ghiraldelli:

(Twitter) De Jean Wyllys: Interessante contribuição ao debate. Você já leu este artigo de Ghiraldelli?

Ghiraldelli é um filósofo conhecido por defender publicamente a homossexualidade e a pedofilia.

Como é que uma universidade evangélica consegue convidar um ativista gay que recomenda um defensor da pedofilia? Além disso, como é que uma universidade presbiteriana consegue apresentá-lo como alguém ativamente envolvido no “combate à homofobia, à intolerância, aos fundamentalismos religiosos”? Não sentem nenhuma vergonha na cara?

Poderiam convidá-lo pelo menos para evangelização? Claro que sim. É obrigação de toda instituição que leva o nome cristão evangelizar os promotores de abominações, não promovê-los.

No caso de Wyllys, cuja formação ocorreu nas comunidades eclesiais de base, notórios vespeiros da marxista Teologia da Libertação, cabia à chancelaria do Mackenzie a responsabilidade de vetar, repudiar e rejeitar o espaço de publicidade ideológica gratuita para o notório supremacista gay.

Em 2010, a mesma chancelaria, sob pressão de tais supremacistas, removeu do site da universidade presbiteriana um manifesto anti-PLC 122 que estava postado ali desde 2007. Bastou que os supremacistas notassem e condenassem o manifesto (que fazia uma oposição suavizada à agenda gay), para que o chanceler do Mackenzie atendesse às ameaças dos birrentos ativistas homossexuais.

Na época, alguns calvinistas ligados ao Mackenzie me disseram que o manifesto fora removido porque a preocupação prioritária do Mackenzie é a “evangelização”. Mas não vi os mackenzistas saindo às ruas evangelizando os manifestantes. E o “combatedor da ‘homofobia’, da intolerância e dos fundamentalismos religiosos” não foi evidentemente convidado para ser exposto ao conhecimento técnico do Evangelho da salvação por meio dos teólogos calvinistas do Mackenzie — convite que ele prontamente rechaçaria. 

Eu sofro a mesma pressão dos supremacistas gays para remover do meu blog os meus artigos e manifestos que denunciam o PLC 122 e a agenda gay. Pelo fato de que não cedo, sou alvo de todos os tipos de ações que visam censurar, bloquear e eliminar meus blogs por inteiro. Outros ataques vêm de esquerdistas evangélicos que se autodenominam apologetas ou calvinistas. Mas nem minha postura nem os constantes ataques e ameaças que recebo impedem a evangelização de jovens homossexuais, que fazem contato comigo pedindo socorro.

Do mesmo modo, estou certo de que se o Mackenzie não tivesse removido seu manifesto anti-PLC 122, não faltariam oportunidades de evangelização, inclusive dos próprios homossexuais e ativistas gays que estudam e trabalham na universidade presbiteriana.

Contudo, se o Mackenzie desta vez mudou de ideia e, em vez de evangelização, queria apenas “debate”, por que trazer Wyllys? Por que deixá-lo usar a universidade evangélica como “púlpito” para pregar suas perversões?

Não era melhor então trazer alguém mais capacitado?

Para um debate genuinamente cristão sobre as ameaças do ativismo gay na sociedade brasileira, o Mackenzie poderia ter convidado Silas Malafaia, cujas opiniões cristãs sobre homossexualidade valem muito mais do que milhões de palestras de Wyllys.

Entretanto, a crença de Malafaia em dons sobrenaturais do Espírito Santo como profecia, curas, milagres e línguas para hoje poderia desqualificá-lo para tal convite. Além disso, ele não tem o selo presbiteriano ou calvinista. Mas Wyllys tem tal selo? Tudo o que ele já fez mais proximamente disso foi dizer que “os calvinistas são aliados do movimento homossexual”.

Será que Wyllys estava se referindo aos EUA, onde a maior denominação presbiteriana ordena pastores gays e promove um liberalismo e esquerdismo que fariam os ossos podres de Karl Marx estremecerem de alegria em seu túmulo?

Se estava falando do Brasil, com certeza, ele estava se referindo ao Genizah e outros tabloides calvinistas que clonam seu sensacionalismo liberalóide. Dá para incluir o Mackenzie nisso? De forma direta, acho que não. Mas indiretamente, é uma possibilidade. O chanceler não é um liberalóide, mas sua descrença no poder do Espírito Santo na vida dos cristãos de hoje o torna vulnerável às ciladas e pressões politicamente corretas.

Ao descrever o chanceler, o Dicionário Babylon (conforme acessado em 2 de março de 2013) diz: Augustus Nicodemus Lopes “acredita no fim da revelação divina através de dons espirituais como profecia, bem como não acredita na manifestação de línguas estranhas como sinal de atuação do Espírito Santo para os dias modernos. Por esse motivo, é considerado por escritores pentecostais como cessacionista e elitista em sua interpretação das Escrituras”.

Talvez tivesse faltado orientação divina para saber quando não ceder ao feroz ativismo gay e quando agir evangelisticamente. “Onde não há visão profética”, diz Provérbios 29:18, “o povo de Deus tropeça”. Outras versões dizem que o povo de Deus chega a perecer. Tudo isso, conforme diz a versão King James Atualizada, porque “Um povo que não aceita a revelação do SENHOR” tropeça, e alguns estão fazendo essa escolha infeliz por acreditarem numa teologia que determina que visões proféticas de orientação ministerial e pessoal não são possíveis fora dos tempos da Bíblia.

Seja como for, com ou sem visão, é óbvio que a Universidade Mackenzie não convidou Wyllys para propósitos evangelísticos.

Talvez quisessem apenas usar a presença famosa dele para que a grande mídia esquerdista, que tanto paparica Wyllys com holofotes e propaganda, notasse que a ANAJURE existe.

Tal tática, se realmente foi usada, é um meio estranho de alcançar visibilidade e holofote, especialmente para cristãos, que deveriam crer que Deus honra aqueles que O honram, e dá visibilidade a quem publicamente — na universidade, televisão ou outro lugar — confessa Seu nome, conforme Jesus Cristo, a Palavra viva, ensinou:

“Digo-vos mais: todo aquele que me confessar diante das pessoas, também o Filho do homem o confessará diante dos anjos de Deus. No entanto, o que me negar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus.” (Lucas 12:8-9 KJA)

“É Deus quem julga: a um rebaixa, a outro eleva!” (1 Samuel 2:7 KJA)

Antes, Wyllys tivesse sido convidado apenas para escutar sobre o Filho do Homem que liberta os homens do pecado homossexual.
Meu comentário: Esse irmão querido, Dr. Nicodemus é barbudinho e certamente peludo, também é gordo. Certamente vai agradar a gays amantes de ursos e chubbies. Verei nesse episódio acima do Mackenzie quem deveria também e talvez com muito mais razão dar glória a Deus. Estarei orando, nos intervalos em que de quando em vez, meus olhos observarão com indizível prazer quem será que é, de fato, muito mais o lamentável Acã (Josué 7.1,26) na Igreja do Senhor. Quem é que, até pelo cargo que ocupa de altíssima importância para a educação e cultura cristã-protestante e cultura e educação em geral, realmente prevarica nas coisas condenadas? Quem é que oculta a justa condenação de uma escola confessional às práticas pecaminosas homossexuais? Quem é o verdadeiro Acã picareta que convida gente sem credibilidade a respeito do que quer que seja, porque extremistas, para perorar e profanar o recinto sagrado de uma escola cristã?

Carta fictícia a um pastor

Por João Emiliano Martins Neto

Belém (Pará, Brasil), 05 de março de 2013 A.D.

Ao Reverendíssimo Pastor X., paz e graça.

Excelente sua homilia, pastor. Realmente, conheço até mesmo padres, pastores e outros funcionários da religião em buracos até mais fundos como os citados pelo amado. Buracos loucamente fundos como o Inferno, porque absolutamente absurdamente inapropriados à religião, parecidos com os poucos líderes espirituais fatídicos e estatais romanos pré-cristãos elencados por Vossa Senhoria. A maioria dos exemplos de céticos, invejosos e ignorantes que o pastor citou em vossa peroração são de pessoas do meio secular e não de gente de religião. A abissal corrupção de certos desses referidos tipos de homens como um que conheci, tornou a vida de alguém semelhante a mim que certamente possui certas peculiaridades difíceis de engolir, em uma confusão dos diabos, é em tudo semelhante à doença espiritual dos contemporâneos do Senhor Jesus Cristo, exemplificadas pelo senhor em vosso sermão.

Pergunto, e o que restou deles? Infelizmente o esterco da desonra, u'a má fama vastíssima, incurável e estrutural. Restou-lhes o desprezo infinito. São herdeiros da fama de bandidos comuns. Enfim, a lata de lixo da História (esses desgraçados acho que não creem no Inferno, mesmo, então a nada cristã História os julgará) que um dia há de mostrar para as próximas gerações quem foram essa subraça de gente e como evitar um destino tão vergonhoso para os pósteros.

Que Deus o abençoe, pastor. 

Em amor, verdade e oração,

JOÃO EMILIANO MARTINS NETO

Google+ Badge

Um Destino cruel...

Eis, acima, um justo destino para os seguidores do PT!

Add me no Zapzap

 photo whatsapp-blue-tick_zpsae2o5yfc.jpg

Outros sites relevantes

Postagens mais visitadas

Leia também sobre a expiação limitada ou sacrifício eficaz

 photo cristo-bom-pastor 6_zpsufwssugx.jpg


Artigo 8 - A eficácia da morte de Cristo

Este foi o soberano conselho, a vontade graciosa e o propósito de Deus, o Pai, que a eficácia vivificante e salvífica da preciosa morte de seu Filho fosse estendida a todos os eleitos. Daria somente a eles a justificação pela fé e, por conseguinte, os traria infalivelmente à salvação. Isto quer dizer que foi da vontade de Deus que Cristo, por meio do seu sangue na cruz (pelo qual ele confirmou a nova aliança), redimisse efetivamente, de todos os povos, tribos, línguas e nações, todos aqueles, e somente aqueles, que foram escolhidos desde a eternidade para serem salvos e lhe foram dados pelo Pai. Deus quis que Cristo lhes desse a fé, que ele mesmo lhes conquistou com sua morte, com outro dons salvíficos do Espírito Santo. Deus quis também que Cristo os purificasse de todos os pecados por meio do seu sangue, tanto do pecado original como dos pecados atuais, que foram cometidos antes e depois de receberem a fé. E que Cristo os guardasse fielmente até o fim e, finalmente, os fizesse comparecer perante o Pai em glória, sem mácula, nem ruga (Efésios 5:27).

"Cânones de Dort", 2º Capítulo da Doutrina: A Morte de Cristo e a Redenção por meio dela.