You may translate my blog if you needing

Search

Carregando...

Seguidores

Ars gratia artis!

 photo triunfo444_zpsebb373bd.jpg

Triunfo de Vênus, pura poesia plástica do Renascimento.

Follow by Email

Principia Sapientiae: a Filosofia como mãe e mestra

"Um filósofo é um intercessor, é um sacerdote. Um filósofo é o anfitrião da verdade digna e acessível aos homens." (João Emiliano Martins Neto)


Ars gratia artis!

 photo 226e20f7-1c38-4311-9049-ca1f46d29999_zpscs8xxzjs.jpg

Pulcra!

Add me no Zapzap

 photo whatsapp-blue-tick_zpsae2o5yfc.jpg

Principia Sapientiae: Vamos filosofar? Viva a Filosofia!



Assistam a um raro vídeo meu em que eu mesmo, por esse tipo de mídia, faço meu convite à Filosofia. Meu convite a você leitor que saiamos da Matrix que é a mesmice, o banal do cotidiano e do senso comum tornados como algo muito ruins quando absolutamente inconscientes acerca de suas naturezas intrínsecas.

Ars gratia artis!



Eis a melhor versão ao vivo para uma canção. Créditos: Wait for me de Daryl Hall & John Oates.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

EU, MALUCO (SAGITARIANO)

 

Eu queria ser oprimido por uma mulher gostosa com cultura de estupro na cabeça que do nada e sem me conhecer, se assentasse no meu colo e me roubasse um beijo.

Já pensou, caro leitor, uma mulher gostosa chegar do nada e ir logo tirando a minha camisa, abrindo a minha calça e pondo-se a me beijar e dizendo que quer engravidar de mim naquele mesmo dia? Meu Deus, isso que seria uma mulher culta, conhecedora da tal cultura do estupro. kkkk

A mulher porre

A mulher porre é a mulher mais tipicamente mulher, submissa e ingênua nos braços de seu macho.

Mas eu sou um macho do bem, apenas faríamos nenê, que mal há?

Que linda a mulher porre, sentadinha no colo de seu homenzinho, dando-lhe beijinhos, fazendo-lhe declarações de amor, chorando, tirando a roupa de seu macho, concordando em fazer um nenê naquele mesmo dia. O amor, as drogas e as bebidas são coisas lindas.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Relações Filosofia e Religião

Contra esse conflito e tensão entre o anseio de intelegibilidade e o puro dever de fidelidade que empurra a muitos ao despenhadeiro do fanatismo, eu recomendo, a todo filósofo que seja laico, que seja um livre-pensador, livre de parti pris, pressupostos e livre de preconceitos que comprometem psicologicamente a atividade de simples intelegibilidade filosófica.

Filosofia e religião são de certa maneira inconciliáveis. Ou vai ficar em masturbações mentais como grandes "teófilósofos" dando uma volta la em cima e depois morder o rabo de novo falando para o pobre fiel: cumpra o que eu digo ou queimará eternamente no inferno! (Autoria: Matheus Araújo Marques)

A Filosofia é a árvore do conhecimento do bem e do mal e tem a nos oferecer o fruto agradável e bom para dar-nos entendimento, mas proibido o seu acesso para nós, homens, por Deus, sob pena de sermos expulsos do Paraíso da felicidade ingênua dos crentes. Um filósofo, portanto, deve ser cético, e/ou agnóstico e ateu, deve ser livre, seja do PT, seja da Igreja, ou da sinagoga, ou da mesquita.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Sobre os shortinhos das mulheres


Acho lindo e um tesão mulher de shortinho, fico louco pra comê-las. Saiotes recatados perto ou abaixo do joelho para mulheres jovens, pode ser mais decente, mas são feios e cafonas.

domingo, 18 de setembro de 2016

CONTRA O SENSO COMUM E MAIS ALGUMAS DIGRESSÕES

A opinião do povo é sempre superficial, é senso comum, isso não vale nada para o filósofo e eu, hoje, que sou estudante universitário de Filosofia, bem percebo a banalidade e tolice do povo com suas opiniões correntes acerca do mundo. Vale sempre para o filósofo a lição perene de Filosofia de Platão de que o filósofo deve fazer o homem ver para além do mundo defeituoso e de sombras da caverna platônica das aparências rumo ao mundo da intelegibilidade, fruto do verdadeiros homens que são somente os filósofos, porque inseridos no mundo das significações, da linguagem e do discurso com sentido. Se nisso tudo, ao fim e ao cabo, politicamente, o certo for ser de esquerda, paciência, o outro lado será apenas demagogia e tosqueira promovendo a ignorância, o senso comum, manter as pessoas eternamente na menoridade e o encher de trevas um povo e o mundo inteiro.

Algo parece ser evidente, o povo prefere ser de direita e religioso, porque se sente muito angustiado, teme até mijar nas calças ou no saiotes, diante da face trágica e terrível, ainda que com alguma beleza acidental, do mundo. É massa, é povão, não se espera heroísmo e coragem a não ser de uma elite. Rejeitar a vontade popular vale também na questão religiosa, afinal, por que o povo estaria certo na religião e errado na politica? Diante do que seja a realidade por mais feia que a mesma seja é preciso encará-la sem pressuposições por mais calmantes e totalizantes que sejam como as religiosas ou ideológicas, é preciso sair um dia da casa de papai e mamãe, seja papai o Deus Pai e mamãe a Virgem Maria.

***

Caro amigo leitor, se você se sente mal no domingo, meus parabéns, veja o caso dos cristãos que em suas seitas, seus jardins do Éden, reúnem-se para festejar a morte da razão, celebram o dogma, a não reflexão, o ópio, celebram a felicidade paradisíaca dos imbecis. Pelo menos no sexo eu sei porque estou feliz e que daqui a pouco quando eu ejacular a felicidade real e do corpo, da carne e da matéria, vai acabar.


***

Caros amigos, sou estudante universitário de Filosofia e espero só não ficar muito frio e desumano por causa do uso da razão, o álcool pode ajudar a relaxar, as vezes, mas só as vezes. A razão tende a deixar o ser humano por vezes frio. Álcool e fé católica, podem ajudar, por isso não me digo ateu, sou apenas laico. Enfim, o ser humano precisa de ópios, um terceiro é o Marxismo, claro. Ainda bem que sou filiado ao PDT. Bar, Igreja e PDT pra relaxar.



***

Se você se sente mal no domingo, meus parabéns, veja o caso dos cristãos que em suas seitas, seus jardins do Éden, reúnem-se para festejar a morte da razão, celebram o dogma, a não reflexão, o ópio, celebram a felicidade paradisíaca dos imbecis. Pelo menos no sexo eu sei porque estou feliz e que daqui a pouco quando eu ejacular a felicidade real e do corpo, da carne e da matéria, vai acabar. Eu mesmo sou católico, mas porra, a gente um dia precisa virar adulto e para a fim de pensar, filosofar um pouquinho e ver que, como você disse, é melhor a dor da verdade do que a ilusão da mentira e que amanhã é segunda-feira.




Livro de Paulo Ghiraldelli sobre Sócrates


Amigos, comprei, ontem, o livro do professor Paulo Ghiraldelli sobre Sócrates. Esqueçam as lendas sobre Sócrates lendo esse excelente livro do professor Ghiraldelli para tornarem-se pessoas verdadeiramente cultas filosoficamente.

sábado, 17 de setembro de 2016

Platonismo, o método perene da Filosofia

A Filosofia platônica é o máximo, porque não obstante discordemos do conteúdo do platonismo, o platonismo como método, na Filosofia, eis que é perene, porque o filósofo sempre está buscando tirar o véu que encobre a verdade acerca do mundo. O filósofo sempre busca vencer o aparência com a inteligência, para chegar ao que seja inteligível, não obstante o mesmo seja apenas aparência e fenômeno.

Diga NÃO ao desarmamento das vítimas!

Photobucket

Ars gratia artis!

 photo De Paula Borges_zpssxynznw7.jpg

O inferior (homem) retratando o superior (anjo). Por Paula Borges.

Add me no ZapZap

 photo whatsapp-blue-tick_zpsae2o5yfc.jpg

Google+ Badge

Um Destino cruel...

Eis, acima, um justo destino para os seguidores do PT!

Postagens populares

Outros sites relevantes

Leia também: Criticando a ideologia de classe

Photobucket

"A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame." (Olavo de Carvalho)