You may translate my blog if you needing

Pesquisar este blog

Χριστός λυτρωτής (Cristo, o Salvador)

 photo Cristo_zpsi9u1t9yx.jpg

"Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna." - São João 3:16 (Bíblia Ave-Maria)

Nossa Senhora, a Divina Maria, a Filha humana de Deus por excelência!

 photo triunfo444_zpsebb373bd.jpg

Denúncia! Filósofo Olavo de Carvalho desmascara Karl Marx


Seguidores

Preclaros Filósofos

anjos photo:  016_big.jpg

Principia sapientiae: Lentes platônico-cristãs

Assine minhas postagens

Ars gratia artis!

 photo triunfo444_zpsebb373bd.jpg

Triunfo de Vênus, pura poesia plástica do Renascimento.

De links longos para links curtos



Enter a long URL to make tiny:



Encurte os links longos para links curtos e práticos. Bom para postagens no microblog Twitter.


Ars gratia artis!

 photo madr_zpsa4265784.jpg

Vênus ou Afrodite, respectivamente, para romanos e gregos, nascendo de uma madrepérola em plena selva amazônica legal, brasileira, de minha cidade de Belém, a capital do Estado do Pará, em uma magnífica escultura no decadente logradouro público de minha referida cidade, na borda do mundo, na Praça da República.

Principia Sapientiae: a Filosofia como mãe e mestra

 photo Rafael_-_Escola_de_Atenas777_zps8e0f0f71.jpg

"Um filósofo é um intercessor, é um sacerdote. Um filósofo é o anfitrião da verdade digna e acessível aos homens." (João Emiliano Martins Neto)


Add me no ZapZap

 photo whatsapp-blue-tick_zpsae2o5yfc.jpg

Principia Sapientiae: Vamos filosofar? Viva a Filosofia!



Assistam ao meu vídeo, supra, em que faço um convite a você, caro leitor, à Filosofia. Meu convite a você leitor que saiamos da Matrix que é a mesmice, o banal do cotidiano e do senso comum tornados como algo muito ruins quando absolutamente inconscientes acerca de suas naturezas intrínsecas.

Entre em contato comigo pelo email (clique no ícone abaixo)









segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Ode à Divina Castidade de Maria


Ó Divina castidade a Vossa, ó Sempre Virgem Maria de Nazaré, padroeira dos paraenses verdadeiramente cristãos, os católicos romanos seriamente de boa vontade. Ó Divina fidelidade, um coração todo de Deus, unido e unificado contra toda a dispersão à coisas tão incomensuravelmente abaixo de Deus, o Criador de céus e terra. Sempre fostes do Um, sempre fostes da Santíssima Trindade, cuja mesma veio a habitar em teu ventre e na Pessoa do Filho de Deus e Filho Vosso, ó Divina Maria, Ele a Ti foi submisso assim outrora na terra em Nazaré, como o é, hoje, no Céu. Ó faz-me casto e fiel a Deus por Vosso intermédio, sendo eu todo vosso, ó Senhora, que eu não ousaria dizer que Sois minha Senhora, eu tão indigníssimo pecador, instrumento tão insuficiente, rebelde, orgulhoso e por muitíssimas vezes arrastado pela luxúria, eu, Emiliano, que sou o maior dos pecadores.

Rogai por mim, rogai por todos nós, ó Sempre Virgem Puríssima, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém.

DOM HENRIQUE EXPLICA O DOGMA DA ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA

OUTROS DOGMAS que poderiam clarificar melhor a questão mariológica seriam dogmas do relacionamento entre Maria e o resto da humanidade que seriam os dogmas de Maria como co-redentora e Maria Rainha, o reinado de Maria. Foram bem definidos em consonância com a vida mesma pulsante da Igreja de dois mil anos, que é a Tradição, foram bem definidos dogmas de Maria em si mesma: quem seria tal Mulher, em sua Imaculada Conceição e em sua gloriosa Assunção, ok, agora precisamos saber qual, eu diria assim, a ética a seguir, uma como que ética mariológca, quando nós, homens, diante da Sempre Virgem Maria que colaborou sem igual com seu Divino Filho Cristo Jesus pela salvação de muitos, pois o Sagrado Coração de Cristo somente poderia ser fruto do Imaculado Coração da Virgem, a mesma Sempre Virgem que deu o seu libérrimo sic et fiat a Deus quando da anunciação. E outro dogma seria o de Maria como Rainha absoluta e suprema sobre céu e terra, sobre o universo, diante de quem o próprio Deus se submete, no Céu, como submetia-se humildemente em Nazaré, à sua Mãe e pai adotivo, o gloriosíssimo São José. Se um dia o nosso Santíssimo Padre Francisco parar com suas trapalhadas cripto-esquerdistas e liberais, poderemos, nós, católicos, livres do inverno terrível que assola a nossa Nárnia que é a Santa Igreja, poderemos ver tais dogmas de Maria co-redentora e Maria Rainha, sempre cridos na Igreja Santa nestes dois mil anos, poderemos ver tais dogmas éticos de uma ética mariológica, insistiria em dizer dessarte, definidos pelo nosso amantíssimo Pontífice Máximo, nosso Pai e Mestre supremo Francisco ou por outro decerto que bem menos problemático que o suceda.

 

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Se à cruz de Cristo devemos prestar a adoração de Iatria

Autoria: Santo Tomás de Aquino


1. — Pois, nenhum filho piedoso venera a contumélia feita contra o seu próprio pai, por exemplo, o flagelo com que é flagelado, o madeiro em que foi suspenso; do contrário, aborrece tudo isso. Ora, Cristo, no lenho da cruz, sofreu aprobiosíssima morte, segundo aquilo da Escritura: Condenemo-lo a uma morte mais infame. Logo, em vez de venerá-la, devemos aborrecer a cruz.

2. Demais. — A humanidade de Cristo, é adorada pela adoração de latria, enquanto unida à pessoa do Filho de Deus; o que não se pode dizer da cruz. Logo, à cruz de Cristo não deve ser prestada adoração de latria.

3. Demais. — Assim como a cruz de Cristo foi o instrumento da sua paixão e morte, assim também o foram muitas outras coisas, como os cravos, a coroa e a lança; as quais contudo não prestamos o culto de latria. Logo, parece que não devemos tributar à cruz de Cristo a adoração de latria.

Mas, em contrário, prestamos o culto de latria aquele em quem pomos a esperança da nossa salvação. Ora, pomos na cruz de Cristo a esperança da nossa salvação. Assim, a Igreja canta no hino da Paixão.

O cruz, ave, esperança única!
Neste tempo da paixão,
Aumenta dos pios a justiça,
E aos réus dá vênia.

Logo, devemos prestar à cruz de Cristo a adoração de latria.

SOLUÇÃO. — Como dissemos, honra ou reverência não é devida senão à natureza racional; e à criatura insensível não devemos honra nem reverência senão por causa da natureza racional. E isto de dois modos: ou enquanto representa uma natureza racional, ou por estar a esta de algum modo unida Do primeiro modo, costumaram os homens venerar a imagem do rei; do segundo, as suas vestes. Mas, uma e outra coisa, com a mesma veneração com que veneram o rei. — Se, pois, nos referimos à cruz mesma onde foi Cristo crucificado, de um e outro modo deve ela ser venerada. Primeiro, porque nos representa a figura de Cristo estendido nela; segundo por causa do contato dos seus membros e por ter sido embebida do seu sangue. Por onde, de um e outro modo, é adorada pela mesma adoração por que o é Cristo, isto é, pela adoração de latria. E também por isso dirigimos palavras e oração à Cruz como o faríamos ao próprio crucificado. — Se porém se trata da efígie da cruz de Cristo, em qualquer outra matéria por exemplo, pedra ou madeira, prata ou ouro, então veneramos a cruz somente como imagem de Cristo, que veneramos com adoração de latria, segundo dissemos.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. — A intenção ou a opinião dos infiéis considera a cruz como o opróbrio de Cristo, mas, pelo efeito que produziu, da nossa salvação, consideramo-la como a virtude divina dele, com a qual triunfou dos inimigos, segundo o Apóstolo: Despojando os principados e potestades, os trouxe confiadamente, triunfando em público deles em si mesmo. E por isso, noutro lugar: A palavra da cruz é na verdade uma estultícia para os que se perdem, mas para os que se salvam, que somos nós, é ela a virtude de Deus.

RESPOSTA À SEGUNDA. — A cruz de Cristo, embora não fosse unida ao Verbo de Deus, em pessoa, foi-lhe contudo unida de certo modo, isto é, pela representação e pelo contato. E só por essa razão nós lhe prestamos reverência.

RESPOSTA À TERCEIRA. — Pela razão do contato dos membros de Cristo, adoramos não só a cruz, mas também tudo o que é de Cristo. Donde o dizer Damasceno: É' racional adorarmos o lenho precioso como santificado pelo contato do seu santo corpo e sangue; e também os cravos, as vestes e a lança; e os seus santos tabernáculos. Mas, tudo isso não representa a imagem de Cristo, como a cruz, chamada sinal do Filho do Homem, que aparecerá no céu, como diz o Evangelho. E por isso às mulheres disse o anjo Vós buscais a Jesus Nazareno, que foi crucificado; não disse — lanceado, mas, crucificado. Donde vem que veneramos a imagem da cruz de Cristo, em qualquer matéria; mas não, a imagem dos cravos ou de qualquer outra coisa semelhante

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

A lógica ilógica ou o puro ilogismo (loucura)



Temo que o senhor meu pai termine os seus dias neste mundo como um louco, como um perfeito idiota. Tentando entender a lógica ilógica dele de não permitir-me qualquer reação ao relacionamento conflituoso com a senhora minha mãe que é uma pessoa terrível: muito exigente e perfeccionista e que sempre criou um partidarismo em casa antepondo a maioria dos filhos dela que são mulheres contra eu o seu único filho homem, o que rendeu-me, ao meu ver, uma doença mental tal qual o transtorno bipolar e a homossexualidade, eu julgo que ele assim o age, tertium non datur, porque como eu não trabalho, quase nunca trabalhei na vida e nem pude continuar os estudos, porque fiquei refém durante uma vida inteira de uma doença incapacitante como o transtorno bipolar, então, como ele dá-me tudo, até mesmo os cigarros que eu fumo, ele que, segundo um psicólogo, é uma pessoa que gosta de comprar as almas das pessoas, então, para o senhor meu pai eu não teria dignidade alguma, seria mais uma pessoa de alma vendida, seria mais uma alma débil vendida aos seus presentinhos. Eis o que seria a lógica ilógica de meu pai, a quem eu amo e já chorei em sonho quando do dia de sua morte, ou seria puro ilogismo, isto é, loucura, já que ele nega tal interpretação minha de que eu seria um indigno bode expiatório dele?

Meu pai é um vampiro e não sabe ou é um vampiro consciente? Se meu pai não estiver louco, a lógica dele ainda é ilógica, é louca, mas há um cálculo aí, se ele estiver louco, logo, é ilogismo puro.

O espiritismo é uma filosofia respeitada pelo mainstream filosófico? -...

A biografia intelectual interior é mais interessante do que o que diz ou do que estar conforme ao mainstream filosófico que é a moda, porque o próprio Martin Heidegger era moda na era nazista, visto que o homem introduziu o Nazismo na Filosofia naquela idéia dele da distinção de ser e ente como, respectivamente, a distinção entre o Estado hitlerista e o völkisch que é a comunidade racial ariana. Se o espiritismo fala a alguém como uma experiência vivida, de fato vivida e, de fato, meditada, então que o valha, porque tudo vale a pena se a alma não é pequena. Eu fui espírita durante oito anos de minha vida, mas um belo dia a mensagem da cruz falou a mim mais forte, a obra de Cristo, obra salvífica, o seu mistério pascal, é muito mais forte do que eu centrar em mim mesmo, pobre de mim mesmo, as baterias como um bode expiatório desumanizado para melhorar-me a mim mesmo coisa que jamais há de ter fim, prefiro crer na graça divina e graça é conceito desconhecido no paganismo espírita.

 

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Homossexualidade e fé católica


Conhecer algo é conhecer pelas causas, já ensinava o Filósofo (Aristóteles). Muito bem, humanamente, naturalmente, a causa da homossexualidade é diversa, pode estar radicada em traumas como um abuso sexual, em uma educação doméstica em a qual o predomínio dos papéis de pai ou de mãe foi grande na educação de uma menina ou de um menino, respectivamente, como que na forma de pais ou mãe mui severos e até mesmo tirânicos ou quando uma das figuras de pai ou de mãe possa ter demonstrado alguma fraqueza como a da própria morte ou porque era fraco moralmente diante de seu cônjuge. Há a questão de desilusões amorosas com o sexo oposto, então, o aspirante a homossexual resolve ingressar ao lado negro da força ou mesmo imagine, caro leitor, uma mulher que fora estuprada, fora abusada sexualmente, mais de uma vez na vida, se não ao menos cogitará abandonar o sexo oposto, pois verá sempre no rosto de cada homem individual do mundo todo, como que o rosto monstruoso, deformado de seu ou de seus agressores sexuais, não é mesmo?

Disse no primeiro parágrafo como sendo, humanamente, as causas possíveis para a homossexualidade, aquelas que elenquei, acima, porque sou religioso, sou católico, e como tal sempre levarei em conta a verdade católica da Santa Igreja Romana que separa o profano do sagrado e, por isso, ensina que o homem, como filho de Adão e Eva, os primeiros, originais e grandes transgressores humanos do pacto que firmaram com o seu próprio Deus, já que transgrediram e o Senhor Deus os avisara que morreriam se comessem do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, isto é, o fruto temível que come, por exemplo, aquele que queira saber se se der de encontro à um poste em alta velocidade ao dirigir uma moto, se ele, tal pessoa, vai, se não morrer, mas sofrerá graves ferimentos. Eva e Adão transgrediram, encheram de feridas e hematomas mortais a nós, homens, sua posteridade, como quem dirigira uma moto em alta velocidade e a mesma chocou-se em um obstáculo tal qual um poste, porque também dissera o Senhor que o dia que eles comessem de tal fruto eles morreriam. Morreram Adão e sua mulher, morremos todos nós, homens. A homossexualidade é fruto, sem dúvida alguma para um cristão, é radicada no pecado original, é fruto da ferida herdada por todo homem que as vezes pode doer a tal ponto de estar inflamada e incapacitar e endoidecer o homem. A cura? Os sacramentos, eis a cura, como, sobretudo, o sacramento da confissão, da unção dos enfermos, são fundamentais e devoções à Sempre Virgem Maria Mãe de Deus, a Imaculada Conceição que como tal, pode curar muitos homossexuais masculinos fixados na figura da mãe, de uma mãe defectiva, tal qual toda mãe e pai, também, deste mundo são defectivos em algum grau, pois são feridos pelo pecado e iniquidade primeira cometida pelo homem no Éden. Para as homossexuais femininas eu sugiro uma devoção por São José, o castíssimo esposo da Virgem Sempre Maria Nossa Senhora. São José não abandonou a Virgem quando descobriu que ela estava grávida, pois bem conhecia o coração imaculada de sua divina esposa e São José gloriosíssimo soube manter-se casto ao lado de sua Divina esposa e criar ninguém menos que o próprio Deus Nosso Senhor Jesus Cristo. Pode São José ser uma bela cura para certas mulheres que enveredaram no lesbianismo por causa, por exemplo, de pais homens tirânicos ou fracos diante de suas mães, ou por causa de homens que abusam de mulheres, então, as meninas e mulherem acabam resolvendo por imitar a conduta de quem viram serem os mais fortes em casa e no mundo

Enfim, amigos, se conhecer dá-se pelas causas, eis o que para mim, por hora, diante de um tema tão polêmico, imoral e debatido como a homossexualidade, eis por ora o que eu poderia dizer sobre tal assunto pareado à fé cristã verdadeira que é somente a católica diante de tanta ditadura do relativismo que há neste mundo, a fim de iluminar tal assunto chamado homossexualidade.

Google+ Badge

Um Destino cruel...

Eis, acima, um justo destino para os seguidores dos revolucionários esquerdistas, liberais e libertários.

Ars gratia artis!

 photo IMG_20170501_100356_zpsq2vzl3ws.jpg

Add me no Zapzap

 photo whatsapp-blue-tick_zpsae2o5yfc.jpg

Outros sites relevantes

Postagens mais visitadas