BEM-VINDO!


WELCOME!



Pesquisar este blog

You may translate my blog if you needing

Θεοτόκος

 photo triunfo444_zpsebb373bd.jpg


Nossa Senhora, a Divina Maria, a Filha humana de Deus por excelência, porque como imaculada que é, Maria é a maior herdeira humana de tudo o que é Deus, o seu Divino esposo e Pai de Seu Divino Filho Jesus Cristo! Os malditos hereges protestantes que não tem a Theotókos como Mãe e não a honram, mas loucos querem ter a Cristo como irmão! Bem como os cismáticos auto-proclamados ortodoxos que não reconhecem a imaculada conceição de Maria e os infiéis judeus, muçulmanos e os pagãos idólatras ateus, cujo deus é o ventre, que odeiam profundamente tudo o que é culto a Deus, ao verdadeiro Absoluto pois eles gostariam de ser absolutos e que, por isso, detestam com ódio sem fim a quem serve a Deus, tal qual serviu a Deus durante uma vida inteira como nenhuma criatura jamais o fará e faria, tais pessoas atraem sobre si a ira divina por desprezarem a Divina Esposa de Deus e Mãe de Deus Nossa Senhora a quem o senhorio supremo e absoluto pertence e diante da qual o próprio Deus Jesus Cristo Nosso Senhor é submisso no Céu como o fora na terra.

Χριστός λυτρωτής (Cristo, o Salvador)

 photo Cristo_zpsi9u1t9yx.jpg

"Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna." - São João 3:16 (Bíblia Ave-Maria)

Denúncia! Filósofo Olavo de Carvalho desmascara Karl Marx


Eu estou nas redes sociais e você? (clique nos ícones abaixo para acessar-me nas redes sociais)
























Seguidores

Preclaros Filósofos

anjos photo:  016_big.jpg

Principiae sapientiae: sobre o Divino Platão

 photo Divino Plato_zps9mwodlew.jpg

Platão é eterno, e é o padroeiro e guardião da Filosofia, no sentido da obra dele como um método, um caminho perene para os estudantes, sobretudo os de Filosofia. É o platonismo a raiz da perene filosofia. Quem filosofa sempre busca ver, enxergar e quem vê ou enxerga algo tem diante de si uma imagem buscada, do grego: eidos, para idéia. Nesse sentido de imagem buscada pelo filósofo, o mesmo confronta-se com os outros homens, comuns, os não filósofos, que acomodados aos sentidos grosseiros vêem com estranheza a atitude do filósofo, mas ele só quer entender, ele quer cognoscer, enquanto os demais vivem imersos nos sentidos, vivem imersos naquela situação opaca aonde a alma estaria como que entorpecida e ociosa. Platão, então, é eterno, é o Divino Platão, é o grande e padroeiro intercessor (eu sou católico romano, por isso falo e creio em intercessão) e divino professor dos estudantes, é Platão e o platonismo a raiz da alta cultura.

Ars gratia artis!

 photo madr_zpsa4265784.jpg

Vênus ou Afrodite, respectivamente, para romanos e gregos, nascendo de uma madrepérola em plena selva amazônica legal, brasileira, de minha cidade de Belém, a capital do Estado do Pará, em uma magnífica escultura no decadente logradouro público de minha referida cidade, na borda do mundo, na Praça da República.

Principia sapientiae: Lentes platônico-cristãs

Assine minhas postagens

Principia Sapientiae: a Filosofia como mãe e mestra

 photo Rafael_-_Escola_de_Atenas777_zps8e0f0f71.jpg

"Um filósofo é um intercessor, é um sacerdote. Um filósofo é o anfitrião da verdade digna e acessível aos homens." (João Emiliano Martins Neto)


De links longos para links curtos



Enter a long URL to make tiny:



Encurte os links longos para links curtos e práticos. Bom para postagens no microblog Twitter.


Ars gratia artis!

 photo triunfo444_zpsebb373bd.jpg

Triunfo de Vênus, pura poesia plástica do Renascimento.

Entre em contato comigo pelo email (clique no ícone abaixo)









Google+ Followers

Principia Sapientiae: Vamos filosofar? Viva a Filosofia!



Assistam ao meu vídeo, supra, em que faço um convite a você, caro leitor, à Filosofia. Meu convite a você leitor que saiamos da Matrix que é a mesmice, o banal do cotidiano e do senso comum tornados como algo muito ruins quando absolutamente inconscientes acerca de suas naturezas intrínsecas.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Adesão do Pará à Independência, uma revolução sem mudanças

A tal Adesão do Pará ao Brasil livre de Portugal foi um primor de idolatria ao Estado às custas de um maquiavélico blefe de um fedelho. Saiba mais a respeito lendo o texto, abaixo que encontrei em um site de uma universidade paraense.

***


Há exatos 175 anos*, em 15 de agosto de 1823, foi assinada a Adesão do Pará à independência do Brasil. Um fato que determinou a história recente do Estado. A adesão aconteceu quase um ano depois do famoso grito às margens do Ipiranga.

Isso porque, naquela época, o país era dividido em duas Capitanias: A província do Grão Pará e Maranhão e a Província do Brasil. Os dois territórios faziam parte da colônia Portuguesa, mas quase não havia comunicação entre eles. O Pará se reportava diretamente a Portugal e pouco contato tinha com o resto do país.

Por ordem do Imperador Dom Pedro I, a esquadra comandada pelo almirante John Pascoe Grenfell desembarcou em vários estados forçando os que ainda não haviam aderido à Independência, a aceitar a separação definitiva entre Brasil e Portugal. <>, conta o historiador João Lúcio Mazzini.

Golpe - Um blefe de Grenfell convenceu os responsáveis pelo Estado a aceitar a adesão. O Almirante trazia uma carta que seria de Dom Pedro I. O documento comunicava que os governantes do Pará deveriam se unir ao Brasil, caso contrário teriam os territórios invadidos. A esquadra imperial estaria esperando em Salinas, pronta para bloquear o acesso ao porto da capital e assim sufocar a economia, baseada nas exportações.

No mesmo dia 11, foi convocada uma assembléia no Palácio Lauro Sodré, sede administrativa na época. Acreditando na história e temendo um ataque, os governantes preferiram aderir à Independência, sob a condição de que os postos e cargos públicos fossem mantidos. A adesão
foi assinada quatro dias depois, data escolhida para o feriado. A ata com as assinaturas faz parte do acervo do Arquivo Público do Estado do Pará.

(explica o historiador)

Revoltas - A manutenção do poder com a adesão resultaria, três meses depois, na Revolta do Brigue Palhaço, quando 256 pessoas foram confinadas no porão do navio São José Diligente e morreram asfixiadas, sufocadas ou fuziladas. (explica Mazzina)

Texto - Glauce Monteiro
Assessoria de Comunicação Institucional da UFPA


___________________
*Nota do autor deste Blog: Neste ano de 2012 são passados 189 anos da Adesão do Estado do Pará à Independência.

Ars gratia artis!

 photo IMG_20170501_100356_zpsq2vzl3ws.jpg

Add me no ZapZap

 photo whatsapp-blue-tick_zpsae2o5yfc.jpg

Google+ Badge

Um Destino cruel...

Eis, acima, um justo destino para os seguidores dos revolucionários esquerdistas, liberais e libertários.

Outros sites relevantes

Postagens mais visitadas