You may translate my blog if you needing

Pesquisar este blog

Χριστός λυτρωτής (Cristo, o Salvador)

 photo Cristo_zpsi9u1t9yx.jpg

"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." - João 3:16 ARA

Ícones de uma Igreja cristã reformada: de fato bíblica



"E dar-vos-ei pastores segundo o meu coração, os quais vos apascentarão com ciência e com inteligência." Jeremias 3:15 ACF


Da esquerda para a direita e de cima para baixo: Pedro Valdo (c. 1140-c. 1220), Martinho Lutero (1483-1546), João Calvino (1509-1564), John Knox (1514-1572), Charles Spurgeon (1834-1892), Martyn Lloyd Jones (1899-1981), Francis Schaeffer (1912-1984).

Seguidores

Assine minhas postagens

Ars gratia artis!

 photo triunfo444_zpsebb373bd.jpg

Triunfo de Vênus, pura poesia plástica do Renascimento.

Ars gratia artis!

 photo madr_zpsa4265784.jpg

Vênus ou Afrodite, respectivamente, para romanos e gregos, nascendo de uma madrepérola em plena selva amazônica legal, brasileira, de minha cidade de Belém, a capital do Estado do Pará, em uma magnífica escultura no decadente logradouro público de minha referida cidade, na borda do mundo, na Praça da República.

Principia Sapientiae: a Filosofia como mãe e mestra

 photo Rafael_-_Escola_de_Atenas777_zps8e0f0f71.jpg

"Um filósofo é um intercessor, é um sacerdote. Um filósofo é o anfitrião da verdade digna e acessível aos homens." (João Emiliano Martins Neto)


Add me no ZapZap

 photo whatsapp-blue-tick_zpsae2o5yfc.jpg

Principia Sapientiae: Vamos filosofar? Viva a Filosofia!



Assistam ao meu vídeo, supra, em que faço um convite a você, caro leitor, à Filosofia. Meu convite a você leitor que saiamos da Matrix que é a mesmice, o banal do cotidiano e do senso comum tornados como algo muito ruins quando absolutamente inconscientes acerca de suas naturezas intrínsecas.

Entre em contato comigo pelo email (clique no ícone abaixo)









sábado, 15 de abril de 2017

Mensagem de Feliz Páscoa 2017

Se você na vida, caro amigo leitor, sente-se desanimado, perdido na vida, em grande dúvida e desamparo, tal qual tantas vezes e foram inúmeras - acredite - eu mesmo já me senti dessarte, faça assim, achegue-se e apegue-se a Cristo Jesus Nosso Senhor e Redentor, pois a Ele podem achegar-se e apegar-se os pequeninhos, humildes e pobres deste mundo que não são os sábios segundo este mundo com suas filosofias vãs, cientificismos e artes rococós soberbas. Podem achegar-se e apegar-se a Cristo, até mesmo pequenos em estatura como o grande e piedoso rei Davi que prefigurou a pessoa de Cristo em seus salmos, porém não podem achegar-se e apegar-se a Cristo os orgulhosos mundanos que querem fazer justiça social e espiritual contando apenas com a força bruta, em partidos políticos de extrema esquerda ou aqueles fariseus hipócritas santarrões, que dispensam, ambos, de direita e esquerda: a graça; mas apegam-se e achegam-se ao Redentor, os pobres como gays, ainda que arrependidos e confusos por uma prática sexual e afetiva destrutiva, todavia, desprezados por uma sociedade homofóbica e machista; a Cristo aproximam-se as prostitutas arrependidas por uma conduta imoral que esmaga as suas consciências; a Jesus achegam-se e apegam-se os encarcerados que reconhecem que fizeram mal à própria consciência e ao bem comum; apegam-se e achegam-se a Cristo Jesus todos aqueles cristãos piedosos e sinceros que cansaram de sistemas religiosos pseudocristãos como o católico romano, porque descobriram as maravilhosas doutrinas da graça da Reforma Protestante do século XVI que neste ano completa os seus 500 anos, e com isso perceberam a maravilhosa graça de Deus e que notaram que somente a mesma graça é capaz de salvar o homem, sobretudo, descobriram o pilar e baluarte da Igreja Protestante, a única verdadeira neste mundo, que diz que o homem tornar-se justo e meritório aos olhos de Deus somente pela fé (sola fide) em Cristo, sendo, então, com graça somente (sola gratia) e sola fide para essas pessoas, Cristo como concretamente e realmente o Salvador. Aquele que pode apegar-se e achegar-se a Cristo é, outrossim, você, mesmo, meu amigo que o mundo com o seu discurso sofista, logo, por definição sofisticado e complicado desprezou a simplicidade de seu coração que queria conhecer o diálogo, a misericórdia, o perdão, uma vida de devoção pelas coisas mais belas e elevadas, e o amor você queria conhecer, meu amado, diante de tanta inflexibilidade do mundo, diante do inchaço da ciência a robustecer de vazio, de nada, os corações de pedra dos cientistas, escribas e filósofos mundanos soberbos. É pouco o que você quer, meu amigo, é simples, mas é tudo o que você precisa, então, busque por Cristo, pois Ele aceitou ser pobre como todo homem é na verdade pobre, deve ser todo escravo, humilhado aos pés de seu Deus e devotado ao seu Criador, todo homem e também os anjos, por isso tanto quanto os anjos santos servem aos homens que hão de herdar a vida eterna, o Cristo, o Verbo divino encarnou-se, viveu na pobreza de Nazaré, uma localidade esquecida das terras dos judeus, foi carpinteiro, pregou, foi perseguido, não tinha uma pedra para assentar a cabeça, foi açoitado, sofreu os horrores de doze horas de escárnio antes da crucificação e ainda foi crucificado e morreu entre dois ladrões, sendo que um arrependeu-se e o outro não. Cristo te entende, meu amigo leitor, Cristo entende o homem, mesmo o maior, principal ou primeiro dos pecadores a menos que tal homem seja soberbo o suficiente para não aceitar a misericórdia salvadora de tal Deus.

Apegue-se e achegue-se, então, meu amigo leitor, pela oração e pelos sacramentos do batismo e da Ceia Santa dos pés de Nosso Senhor Jesus e Ele há de curar, libertar, alegrar você e te dar a salvação, Cristo que é a nossa Páscoa, Cristo que é a travessia do anjo da morte, enviado por Deus para destruir os rebeldes, mas que pelo sangue do Cordeiro Jesus Cristo, tal anjo, por ordem de Deus, é de nós, os fiéis, ele é desviado, somente pela graça (sola gratia) e somente pela fé (sola fide). 

Feliz, portanto, e Santa Páscoa, meu amigo e que Deus vos abençoe.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Cristo, o Grande Humanitário

Ó meu Deus, ó Cristo, Sois o grande humanitário, Sois o amor, Sois o grande e maior amigo dos homens. O Vosso afeto, ó Nosso Senhor Jesus Cristo, pelos homens, Vossa amizade é algo indizível por nós e o que tínhamos a oferecer-Te senão a nossa indiferença cadavérica, assombrosa, fria, rígida, putrefata e insensível de nosso coração de pedra morto e sepultado em nossos delitos e pecados? Grato a Ti sou, ó Amado, ó Filho de Deus que tão-somente por graça e tão-somente por fé, somente para a glória de Deus, nos tornaste a nós, os homens, irmãos Teu e filhos de Deus, também, pois somos nós, homens crentes, um só contigo, um só corpo que é a Igreja. Grato a Ti sou, ó Deus Todo-poderoso criador de céu e terra, porque compraste-nos por preço, o alto preço de Vosso sangue preciosíssimo, o sangue de Ente divino como Vós imaculado.

Preserva a nós, a Tu Igreja, ó Jesus, do império e tormento do inferno que certamente encontra uma entrada em nossos corações no orgulho, pois foi o orgulho que um dia fez perder a mais excelente das criaturas, o anjo Lúcifer, e então o inferno, o mal e o pecado foram concebidos. Preserva-nos a nós, os Vossos santos, da doença, vício e paixão do orgulho dos pecados inconfessáveis, mas de também por outro lado de querermos fazer justiça com as nossas próprias mãos, quando sabemos se formos cristãos verdadeiros, porque filhos da Reforma Protestante do século XVI, que o homem torna-se justo e meritório aos olhos de Deus somente por fé (sola fide) em Vós, ó Cristo Jesus, para a glória de Deus Pai e na força do Espírito Santo em Quem fomos todos nós, os santos, batizados e com fogo, também, para incendiarmos purificando e iluminando este mundo impuro e de trevas para abundarmos em dons espirituais, mas sobretudo no fruto do mesmo Espírito.


Amém.

Súplica a Deus por fidelidade

Ó CRISTO, MEU DEUS Todo-Poderoso, meu Redentor, não permitas que eu me afaste de Vosso amor. Como disse o Apóstolo (São Paulo) nada há de separar os santos de Vosso amor, nenhuma intempérie dita metafísica como fome, nudez, frio, espada, perseguição, nada há de separar-nos de Vosso amor. Eu sou pecador, ó meu Cristo, ó meu Irmão maior e primogênito, sou o maior, o principal e o primeiro dos pecadores, mas ajuda-me com Vossa graça para que eu seja consagrado, para que eu vença e seja desgarrado da dispersão, para que eu vença o que é mundano, aparente e transitório pelo uso de minha razão natural a princípio que em minha profissão como filósofo eu saiba desconfiar de tudo que de cara se apresente a mim a fim de que eu busque a inteligência de tudo o que há, incluindo a inteligência acerca de Ti mesmo, ó meu Deus, porque queres que nós, homens, tua semelhança, porque seres inteligentes e com volição, queres, ó Deus, que amemos a Ti com toda a nossa inteligência, entendimento e espírito. Faz de mim em minha contemplação e interpretação do que é comum ao mundo, faz de mim, ó Cristo, mente e inteligência divina, faz de mim, filósofo, um santo filósofo, isto é, um mestre da suspeita, faz de um com efeito filósofo e santo, porque consagrado, livre da dispersão, livre do que é profano, faz-me livre de achar-me um sábio, aliás contrário do filósofo, mas que ao cabo eu acabe é como um louco, abaixo do nível humano, como um animal, não mais imagem Tua, ó meu Cristo de Deus, isto é, santo, consagrado, amigo da verdade, mas somente em busca do que é mundano, terreno, animal, transitório e indigno.

Eu sou fraco, ó meu Deus, eu sou pó. Tu sabes, ó meu Deus, todas as coisas, sabes o quanto eu sou mal, porque a Tua Palavra que é suficiente e poderosa e infalível no-lo revela-me isso, mas sobretudo revela-me que do nada tudo fizestes e que sem vós o homem nada pode fazer e que o homem é um cadáver antes de convertido à vossa religião, ó Cristo. Preserva-me, meu Deus, do orgulho, caso eu seja um eleito Vosso, caso eu seja um predestinado desde antes da fundação do mundo para a redenção. Sois maior que todos. Não há filósofo, cientista, artista, artífice, ser humano ou angélico maior, melhor e mais iluminado do que Vós, ó Cristo, que por Vosso Santo Espírito contemplas a tudo e sabes absolutamente de tudo. Não há sedução vinda de homens ou de anjos que buscam tanto o saber e a ciência, mas nunca chegam à verdade, porque cegos, loucos e soberbos não querem ouvir a Tua voz que diz, Tu mesmo o disseste, que Sois a verdade. Preserva-me, guarda-me a mim e a todos os meus irmãos, guarda a vossa Igreja, do poder das trevas, isto é, do erro fatal que é o orgulho.

Tudo isso eu vos peço, ó meu Pai, ajuda-me, ajuda-nos, no nome santo de Vosso Filho, o Senhor Jesus Cristo e Amém.

terça-feira, 11 de abril de 2017

A esquerda e a chatice

Bom, caros amigos, já ouvi de um direitista que o esquerdista, que a esquerda na pessoa de seus correligionários, os esquerdistas, são chatos. Ora, a chatice como aquela coisa repetitiva, maçante e que aborrece pode ser mesmo a nota constante do esquerdista, pelo menos os mais extremistas, porque ateus, que defendem uma salvação pela Política, pela força bruta humana, algo sem dúvida alguma orgulhoso, perverso e incrédulo, que não acolhe a graça divina. Mas, eu diria que vejo algum fruto em tal chatice que seria, deveras, uma estruturação da sociedade, através do Estado com suas leis e instituições, a fim de propiciar no aqui e agora da civitas hominum, historicamente, socialmente e concretamente, a estruturação de condições materiais e reais para que o pobre e o proscrito como o louco, o gay, a mulher, a prostituta, o viciado em drogas ou alcoólatra ou o operário possam viver dignamente, ainda que diante de suas vicissitudes, diante de suas intempéries metafísicas que os referidos pobres e proscritos e tantos outros não conseguem vencê-las humanamente. Ora, tais intempéries metafísicas como a do louco que precisa tomar os seus remedinhos psicotrópicos prescritos pelo médico, tais intempéries são mais chatas ainda do que os protestos dos chatos esquerdistas e por dever de consciência, sobretudo cristã, uma sociedade com o seu Estado, leis e instituições, por dever de consciência bem pode e deve socorrê-los, coisa que a chamada caridade privada seria sempre restrita.

Nós, os esquerdistas podemos ser chatos, sim, mas o mundo deficitário que jaz no maligno com suas mazelas: as intempéries metafísicas, é mais chato ainda e o individualismo burguês liberal de certos círculos direitistas, na, ao meu ver, na pressa de recolher-se ao seu atomismo doméstico individualista, apenas torna qualquer boa intenção de tais individualistas em algo sumamente aquém das reais necessidades da sociedade dita cristã, pois arrogam-se dizerem-se cristãos, mas que na prática não milita o máximo possível necessário para ao menos minorar o sofrimento humano.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Unum est necessarium

Os homens de ação apressadinhos e nervosinhos que me perdoem, mas eu quero ser filósofo, eu quero ser o homem da inação e da inutilidade. Minha ação é a contemplação. Sou inútil mesmo, não quero simplesmente transformar o mundo, mas interpretá-lo de diversas maneiras, compreender antes, saber o que seja a essência, o que seja a verdade acerca do real e dizê-la. Para mim o mundo é como um templo religioso em o qual eu o observo, observo, medito sobre o mesmo, eu o admiro, vejo com admiração, vejo o mundo com sempre renovado espanto, o mundo que para os apressadinhos e nervosinhos homens de ação é banal, usual, cotidiano, ordinário e indiferente que eles querem modificá-lo, eles não querem saber, querem agir, vivem às cegas. Acho que não quero isso para mim, não, amigos, todavia, quero saborear o mundo, aspiro por saber, conhecer, eis a minha praia: aspiro pelo filosofar. Para mim, como disse Cristo à Marta, irmã de Maria e de Lázaro, seus amigos de Betânia, lá na terra dos hebreus, como disse Cristo a Marta, só uma coisa é necessária - unum est necessarium - e saber é que é necessário, filosofar é preciso, viver não é preciso para já; sem qualquer orientação a vida torna-se inútil, ignorante, nas trevas e indigna de ser vivida.

Um acesso à minh'alma

Para além de eu ser um homem baixo, hoje com barbas brancas, precocemente, com cicatrizes na testa, fruto de minhas peraltices de infância, para além de meu nariz ser meio achatado, eu digo que tenho uma alma, tenho um ser, tenho e sou um ente racional, com uma alma mortal segundo o Filósofo (Aristóteles), mas eterna segundo a teologia cristã, pelo menos a católica romana e a protestante mais clássica, baseada na Bíblia, segundo diz o livro do Apocalipse.

Eu tenho um ser, uma alma que quer viver, mas que as vezes pode corromper-se, pode obscurecer-se, como a sulamita do livro de Cantares da Bíblia, que, decerto que confiada e confiando em os homens, seus irmãos, foi mandada a cuidar das vinhas que lhe não pertenciam e acabou obscurecida com a alma dos pecadores, acabou preta, ainda que bela, mas enegrecida pelo pecado que deforma o homem. Meu ser, então, eu diria interpretando o livro de Cantares, ou o ser de todo o homem, sua alma, é bela para Deus, o esposo, Salomão, mas pode acabar abatida, maltratada pelo pecado, pelo pecado do homem que preferiu confiar mais em si mesmo e em seus irmãos, os homens, do que em Deus. No meu caso, caro leitor, que padeço do pecado da preguiça, eu prefiro confiar mais em mim mesmo e na ajuda humana como a dos meus pais que sustentam-me financeiramente, do que confiar em Deus e no oferecimento de sua graça para aperfeiçoar a minha natureza que há de ser apta a fim que eu faça mover céus e terras, se preciso for, para que eu cumpra a minha missão neste mundo.

Veja, meu amigo leitor, não se assuste, minha alma parece um castelo assombrado, mal iluminado e com goteiras, enegrecido pelo pecado, lamentável... Se puder, ore por mim, caro leitor, peça a Deus que envie a sua graça e seus anjos para como labaredas de fogo que eles são, que eles formem uma muralha do fogo consumidor que é o nosso Deus, a fim de que o tormento do inferno que esteja a seduzir-me para o pecado da preguiça bata em retirada, com a minha própria colaboração, outrossim, na forma de mais orações, jejum e determinação para que eu cumpra a missão que a mim, o Emiliano, o maior dos pecadores, para que eu cumpra a minha missão nesta vida.

Que Deus tenha misericórdia de todos nós. 


Amém.

Google+ Badge

Um Destino cruel...

Eis, acima, um justo destino para os seguidores do PT!

Ars gratia artis!

 photo IMG_20170501_100356_zpsq2vzl3ws.jpg

Add me no Zapzap

 photo whatsapp-blue-tick_zpsae2o5yfc.jpg

Outros sites relevantes

Postagens mais visitadas

Leia também sobre a expiação limitada ou sacrifício eficaz

 photo cristo-bom-pastor 6_zpsufwssugx.jpg


Artigo 8 - A eficácia da morte de Cristo

Este foi o soberano conselho, a vontade graciosa e o propósito de Deus, o Pai, que a eficácia vivificante e salvífica da preciosa morte de seu Filho fosse estendida a todos os eleitos. Daria somente a eles a justificação pela fé e, por conseguinte, os traria infalivelmente à salvação. Isto quer dizer que foi da vontade de Deus que Cristo, por meio do seu sangue na cruz (pelo qual ele confirmou a nova aliança), redimisse efetivamente, de todos os povos, tribos, línguas e nações, todos aqueles, e somente aqueles, que foram escolhidos desde a eternidade para serem salvos e lhe foram dados pelo Pai. Deus quis que Cristo lhes desse a fé, que ele mesmo lhes conquistou com sua morte, com outro dons salvíficos do Espírito Santo. Deus quis também que Cristo os purificasse de todos os pecados por meio do seu sangue, tanto do pecado original como dos pecados atuais, que foram cometidos antes e depois de receberem a fé. E que Cristo os guardasse fielmente até o fim e, finalmente, os fizesse comparecer perante o Pai em glória, sem mácula, nem ruga (Efésios 5:27).

"Cânones de Dort", 2º Capítulo da Doutrina: A Morte de Cristo e a Redenção por meio dela.