You may translate my blog if you needing

Pesquisar este blog

A certeza

 photo Cristo_zpsi9u1t9yx.jpg

"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." - João 3:16 ARA

Ícones de uma Igreja cristã reformada: de fato bíblica



"E dar-vos-ei pastores segundo o meu coração, os quais vos apascentarão com ciência e com inteligência." Jeremias 3:15 ACF


Da esquerda para a direita e de cima para baixo: Pedro Valdo (c. 1140-c. 1220), Martinho Lutero (1483-1546), João Calvino (1509-1564), John Knox (1514-1572), Charles Spurgeon (1834-1892), Martyn Lloyd Jones (1899-1981), Francis Schaeffer (1912-1984).

Seguidores

Assine minhas postagens

Ars gratia artis!

 photo triunfo444_zpsebb373bd.jpg

Triunfo de Vênus, pura poesia plástica do Renascimento.

Ars gratia artis!

 photo madr_zpsa4265784.jpg

Vênus ou Afrodite, respectivamente, para romanos e gregos, nascendo de uma madrepérola em plena selva amazônica legal, brasileira, de minha cidade de Belém, a capital do Estado do Pará, em uma magnífica escultura no decadente logradouro público de minha referida cidade, na borda do mundo, na Praça da República.

Principia Sapientiae: a Filosofia como mãe e mestra

 photo Rafael_-_Escola_de_Atenas777_zps8e0f0f71.jpg

"Um filósofo é um intercessor, é um sacerdote. Um filósofo é o anfitrião da verdade digna e acessível aos homens." (João Emiliano Martins Neto)


Add me no ZapZap

 photo whatsapp-blue-tick_zpsae2o5yfc.jpg

Principia Sapientiae: Vamos filosofar? Viva a Filosofia!



Assistam ao meu vídeo, supra, em que faço um convite a você, caro leitor, à Filosofia. Meu convite a você leitor que saiamos da Matrix que é a mesmice, o banal do cotidiano e do senso comum tornados como algo muito ruins quando absolutamente inconscientes acerca de suas naturezas intrínsecas.

Entre em contato comigo pelo email (clique no ícone abaixo)









sexta-feira, 29 de março de 2013

Minha cruz e o ministério dos anjos

Por João Emiliano Martins Neto


"Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobriam os seus rostos, e com duas cobriam os seus pés, e com duas voavam."(Isaías 6:2 ACF)

"Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;" (Mateus 16:24 ACF)
 

Glórias sejam dadas somente a nosso Deus pela existência e ministério de vocês, ó santos anjos eleitos do Pai. Vocês são ministros de Deus, labaredas de fogo, ventos que estão aí para auxiliarem os predestinados à salvação eterna.

Cristo na cruz com três anjos. Óleo sobre tela por Albrecht Duhrer

Ó Pai, no nome santo de Vosso Filho o Senhor Jesus Cristo, manda os vossos anjos para auxiliar à vossa Igreja. Em especial, manda serafins que como foram vistos por Isaías, a portarem seis asas, que os tais venham aqui ajudar o maior dos pecadores que sou eu.

Sabeis de meus padecimentos mentais, ó Pai, por isso no nome de Vosso Filho unigênito, manda que vossos serafins que com duas de vossas asas que cobrem o rosto ao estar diante de Vosso trono, cubram a concupiscência de meus olhos ao fitar o desempenho intelectual dos sábios segundo este mundo. Que aquelas duas de vossas asas, ó irmãos serafins anjos, cubra e impeça que meus pés não corram ligeiro para o abismo das consequências funestas de minhas enfermidades. Por fim, que vossas outras últimas duas asas, que vos auxiliam a voar, não deixem que a cruz de meus padecimentos emocionais, impeçam que eu voe rumo a sabedoria do Alto, pois em Cristo estão encerrados todos os tesouros de sabedoria e ciência.

Nessa Sexta-Feira da Paixão, por graça divina, uno com o auxílio do ministério angélico, a minha paixão pessoal, minha cruz à cruz e paixão de nosso Senhor Jesus Cristo.

Aleluia! Amém!

Marco Feliciano e a limitada atuação do Evangelho na Política

Por João Emiliano Martins Neto


Venho acompanhando um pouco aqui e ali à celeuma causada por militantes de Esquerda contra a presidência do Pastor Marco Feliciano (PSC/SP) na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM)

Marco Feliciano quando de sua assunção à presidência da CDHM
da Câmara dos Deputados. Destacaria com horror à atuação de um deputadozinho chamado Arnaldo Jordy (PPS/PA) daqui de meu Estado do Pará que acho que poderia muito mais apropriadamente viver e morrer aqui no meio da selva amazônica quase que inabitada que é o norte brasileiro ao lado de sua esposa bem mais jovem que ele do que provar que não entende nada de Democracia. Ora, o tal Jordy quer processar Feliciano junto à Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da referida casa legislativa brasileira para conseguir a renúncia do pastor da direção da supracitada comissão.



Sou evangélico e endosso às opiniões nada mais que bíblicas de meu irmão Feliciano quanto à maldição hereditária contra os negros (Gênesis 9:25) e o pecado que é o homossexualismo (Levítico 18:22; Romanos 1:27; 1Coríntios 6:9). Vida longa ao, para dizer como a tal presidente Rousseff, meu irmão de armas (a arma é a do Espírito que é a Bíblia) Sr. Feliciano na presidência da CDHM.

Mas, quero aqui com esse meu post ressaltar o papel pouco relevante do Evangelho na Política.

Ora, notem, caros leitores, que o Evangelho, como diz Paulo em sua carta aos romanos, é o poder de Deus para salvar a todo aquele que crê (Romanos 1:16). Você acha mesmo que um político por mais cristão que seja possa ser indulgente para com quem peca ao se corromper na sociedade? Quem mata, rouba, pratica roubo de bens privados ou estatais, quando e como seria alvo de um soi disant Estado cristianíssimo que desse a outra face (Mateus 5:39) para essas pessoas ao lhe perdoarem por seus crimes?
       Penso ser ridícula a militância política para um cristão. O intolerante chicote polítco, a ânsia por controlar, manipular, a tentação a que muitos políticos cedem de quererem ser como que césares reencarnados e tão divinizados como os governantes da Roma monárquica que a muitos cristãos matou.


Onde fica o amor ao próximo, o perdão, a amizade, a compaixão, enfim, os meios práticos para a salvação dos eleitos se, pelo que entendo das relações entre a Política e a minha religião cristã, ficam reduzidas ao papel vingador (Romanos 13:4) do Estado, como explicou o Apóstolo (Paulo)?


Jordy
Não desconheço as contribuições do Evangelho para o aprimoramento das democracias no mundo, mas penso que o Cristianismo na política é, hoje, uma filosofia que perpassa nossas instituições democráticas, todavia, que não ousa dizer o nome. É um cristianismo anônimo, mas que sem o bom perfume de Cristo (2 Coríntios 2:15), a Política mundana não teria um contraparte enquanto homens muitas vezes não regenerados pelo Espírito exercem os seus podres poderes no mundo.

Não nos esqueçamos que o Senhor Jesus Nazareno disse que o reino d'Ele não é deste mundo (João 18:36), pois foi a Cristo que foi dado todo o poder no céu e na terra (Mateus 28:18) para que somente Deus seja glorificado e o homem não se sinta tão responsável por levar todo o peso do mundo nas costas como se fosse um Atlas comunista moderno.


Soli Deo gloria!

quinta-feira, 28 de março de 2013

Conselhos para os varões familiares

Por João Emiliano Martins Neto


Ainda não mencionei aqui neste meu Blog que hoje sou tio. Meus sobrinhos nasceram ano passado. São um casalzinho de sobrinhos. Uns fofos. Agora como nunca em minha espiritualmente pobre família eu posso expressar meu afeto ao abraçar e encher de beijos os meus parentes. Novos abençoadíssimos parentinhos. Seus nomes são Dom João Felipe e Dona Maria Fernanda. Beijos e abraços são a parte física do amor. Outrossim Deus se faz homem nesses momentos dos afagos. Creio, por isso, que Deus humanizado: o Senhor Jesus Cristo, era alguém muito afetuoso com seus discípulos e apóstolos. Não é a toa que o discípulo a quem o Senhor amava, João, recostava-se no peito do Salvador na última ceia. Como relata a inerrante, suficiente, poderosa e infalível Palavra de Deus, era costume que o povo tocasse ao menos na orla das vestes de Jesus e decerto que cariciosamente afagassem mesmo o Senhor da mesma forma que João o fizera com o Mestre na última refeição.

Mas, aqui nesse post, em referência a meus sobrinhos, quero dar um conselhozinho, primeiramente, a meu sobrinho, Dom João Felipe e que servirá para os demais sobrinhos varões que virão ou para um filho que, por mui graciosa graça divina, eu mesmo possa vir a gerar ou o que é mais importante, para varões aparentados espiritualmente, os quais são a verdadeira família, como ensinou Jesus. Há raros homens na minha família e também muitos homens hodiernamente são destruídos como aconteceu comigo, ainda no ninho, pela assunção das mulheres na sociedade. Então, cabe aqui um certo esforço intuitivo e vindo de um varão, o parente na carne ou no espírito, para esses novos varões que já existem e/ou que virão.

Ora, na semana que passou, Sr. Dom Felipe fez 9 meses de nascido. Espero que tal mero rascunho de conselho ajude-o, um dia, em sua vida de certamente predestinado para a bem-aventurança eterna com o Pai, para varões como ele terem alguma idéia de como se guiarem, nada menos que biblicamente, neste mundo que jaz no maligno...


É o seguinte:

Sejam homens! Esforcem-se e sejam homens! Eis o conselho mais solene de um pai para o seu próprio filho. No caso, conselho de ninguém menos que Davi para Salomão. Davi o homem segundo o coração de Deus. Façam o esforço de serem, simplesmente, quem vocês são, ó meus familiares machos. Somos nós, os varões, a imagem e glória de ninguém menos que o próprio Deus. O Criador é só um, mas não é solidão. Ele fez criaturas à sua imagem e semelhança. Anjos e homens somos livres e podemos exercer nossa vontade somada ao intelecto que faz-nos, eu diria, discernir e conseguir praticar a verdadeira liberdade que é pujante, pois responsável, a qual é diferente da falsa liberdade que é a inconsequentemente desvairada libertinagem. Não devemos transformar a graça divina em farra. Ser homem, portanto, é ser um mediador soberano ante a criação, sem ser um autocrata intolerante. Somos homens, ó meus abençoados parentes varões, precisamos, com a ajuda do Espírito de Cristo, sermos sacerdotes ao discernirmos e temperarmos nossas atitudes. Deveremos ser sacerdotes, por isso, mansos e humildes de coração para promovermos, antes de mais nada, a salvação para o nosso lar quando sobretudo soubermos sujeitar a nossa esposa ao cabeça da casa que somos nós, qual Jesus é o cabeça da Igreja. Depois, também, deveremos promover a salvação pela pregação à Igreja e salvação para a sociedade ao, não antes que primeiramente, entronizarmos a verdade em nossa própria vida.

Que santifiquemos sempre a nosso Senhor Jesus Cristo em nosso coração, que nosso Senhor seja o nosso Rei. Na prática, separando-o em nosso entendimento contra a massa amorfa que é essa maldita arraia miúda mundana que odeia o Senhor por amar mais a própria vida do que a verdade que é Cristo e saberemos mediar nossos próprios conflitos e alheios a começar pelos de casa ao apresentarmos os que forem santos para serem lavados no sangue do Cordeiro e libertos do jugo do diabo.

Que Deus nos abençoe e boa sorte, aos varões familiares, em suas vidas neste mundo.

Google+ Badge

Um Destino cruel...

Eis, acima, um justo destino para os seguidores do PT!

Add me no Zapzap

 photo whatsapp-blue-tick_zpsae2o5yfc.jpg

Outros sites relevantes

Postagens mais visitadas

Leia também sobre a expiação limitada ou sacrifício eficaz

 photo cristo-bom-pastor 6_zpsufwssugx.jpg


Artigo 8 - A eficácia da morte de Cristo

Este foi o soberano conselho, a vontade graciosa e o propósito de Deus, o Pai, que a eficácia vivificante e salvífica da preciosa morte de seu Filho fosse estendida a todos os eleitos. Daria somente a eles a justificação pela fé e, por conseguinte, os traria infalivelmente à salvação. Isto quer dizer que foi da vontade de Deus que Cristo, por meio do seu sangue na cruz (pelo qual ele confirmou a nova aliança), redimisse efetivamente, de todos os povos, tribos, línguas e nações, todos aqueles, e somente aqueles, que foram escolhidos desde a eternidade para serem salvos e lhe foram dados pelo Pai. Deus quis que Cristo lhes desse a fé, que ele mesmo lhes conquistou com sua morte, com outro dons salvíficos do Espírito Santo. Deus quis também que Cristo os purificasse de todos os pecados por meio do seu sangue, tanto do pecado original como dos pecados atuais, que foram cometidos antes e depois de receberem a fé. E que Cristo os guardasse fielmente até o fim e, finalmente, os fizesse comparecer perante o Pai em glória, sem mácula, nem ruga (Efésios 5:27).

"Cânones de Dort", 2º Capítulo da Doutrina: A Morte de Cristo e a Redenção por meio dela.